Arquivos para categoria: FILMES DO DIA

Iara Lee, Turquia/Síria, 2012, 52’, VO Árabe e Inglês / legendas Inglês

Local: Faculdade de Letras e Ciências Sociais, 17h, quarta feira 19.

Mais de um ano depois, e contando milhares de mortos, o conflito em curso na Síria tornou-se um microcosmo para as políticas complicadas da região, e um reflexo desagradável do mundo em geral. Este filme explora o conflito da Síria através da humanidade dos civis que foram mortos, abusados e deslocados para a miséria dos campos de refugiados.

Iara Lee
Reconhecida activista, Iara Lee é uma produtora e cineasta brasileira radicada em Nova Iorque. Colaboradora em diversas iniciativas humanitárias, participou na Campanha Internacional pela Eliminação de Bombas de Fragamentação. Em 2006, enquanto residia no Líbano, acompanhou os 34 dias de bombardeamento de Israel ao país, uma experiência que a motivou a criar a campanha “Make Films Not War”.

África do Sul, 2012, 50’, VO Inglês e Afrikaans / legendas Inglês

Local: Centro Cultural Franco Moçambicano, 20h, 19 quarta feira.

Motociclismo e o vício pela cocaína cruzam-se nesta jornada de um homem que luta contra os seus demónios. Patrick van Sleight, na tentativa de sair do seu ciclo de depressão e de dependência de drogas, pede ao seu amigo cineasta para o ajudar a documentar e a racionalizar sobre o que está a acontecer na sua cabeça e na sua vida. Um olhar delicado e intensamente pessoal, sobre o vício e a depressão.

Riaan Hendricks
Hendricks produziu, dirigiu e editou mais de 20 filmes. “The Last Voyage” ganhou um Dhow de Prata no Festival Internacional de Cinema de Zanzibar em 2011. Atraído pelo cinema observacional, os seus filmes abordam temas entre o pessoal e o político.

Licínio Azevedo, Moçambique, 2007, 53’, VO Português

Local: Centro Cultural Brasil Moçambique, 16h, quarta feira 19.

O Grande Hotel, na cidade da Beira, era o maior de Moçambique, na época colonial: 350 quartos, luxuosas suítes, piscina olímpica… Actualmente, o prédio, em ruínas, sem electricidade e sem água canalizada, é habitado por mais de 2500 pessoas. Algumas vivem ali há vinte anos. Além dos quartos, também servem de moradia os saguões, os corredores, as áreas de serviço do hotel e a cave, onde é sempre noite.

Licínio Azevedo
É cineasta e escritor. Trabalhou no Instituto Nacional de Cinema, onde acompanhou as experiências dos cineastas Ruy Guerra e Jean-Luc Godard. É um dos fundadores da Ébano Multimédia, empresa moçambicana de produção de cinema.

“Bouncing Cats” conta a história inspiradora de um homem que tenta criar uma vida melhor para as crianças do Uganda, usando a ferramenta improvável do Hip-Hop, com foco na cultura b-boy e breakdance. Em 2006, Abraham “Abramz” Tekya, o jovem ugandense órfão de pais vítimas de SIDA criou o Breakdance Project Uganda (B.P.U.) com o sonho de dinamizar uma oficina gratuita para capacitar e reabilitar a comunidade, formando os jovens através da cultura b-boy.

Nabil Elderkin
Nabil Elderkin é um fotógrafo e realizador de cinema e vídeos musicais de nacionalidade autraliana, e de origem mista americana e curdo-iraniana. Nascido em Chicago e criado na Austrália, reside actualmente em Los Angeles, Califórnia. O seu trabalho apareceu em muitas plataformas, incluindo publicidade, editoriais e capas de revistas, vídeos de música, livros, capas de álbuns e fotojornalismo.

 Para ampliar, clique aqui.

O chileno Rodrigo Gonçalves esteve em Moçambique nos anos 80, altura em que realizou vários filmes, que são um retrato do país na época.

A 6º edição do Dockanema faz uma retrospectiva da sua obra, mostrando nove trabalhos neste festival.
Amanhã, pelas 16 horas passarão três filmes no Teatro Avenida: As Crianças de Lhanguene (1989)The Road to Death (1990) e Pensar Alto (1990).

Amanhã também, dois filmes retratam a presença chinesa no nosso país, mostrando uma onda de imigração com consequências para quem cá está e quem chega.
A realizadora moçambicana Yara Costa apresenta Porquê aqui? Histórias de Chineses em África, com testemunhos chineses numa pequena aldeia no Lesoto, numa ilha isolada em Moçambique e na movimentada capital do Gana, onde centenas de imigrantes chineses em busca de uma vida melhor, chegam com a esperança de prosperar, mas que rapidamente se encontram diante de todos os tipos de obstáculos – até mesmo a morte. Três histórias de vida mostram o o maior fenómeno de imigração que o continente africano teve na última década.

Porquê aqui? Histórias de chineses em África, passará pelas 16 horas na Faculdade de Letras e Ciências Sociais, com entrada gratuita.

Por seu lado, a austríaca Ella Raidel vem com Subverses – China in Mozambique, que retrata a comunidade chinesa especificamente em Moçambique. Os protagonistas contam como África é vista como “o último mercado do mundo” e a sua cruzada como construtores de alguns dos maiores projectos urbanos do nosso país. Na primeira pessoa, mostram o outro lado destes investimentos avultados.

Subverses – China in Mozambique passará às 18 horas na Faculdade de Letras e Ciências Sociais, com entrada gratuita, sendo seguido pelo filme Grande Hotel, de Lotte Stoops.

A belga Lotte Stoops revive o presente e o passado do Grande Hotel, na Beira, um edifício que é mais uma cidade dentro da cidade. Mais do que um simples documentário sobre a história deste hotel, o filme retrata a megalomania colonial, a vaidade

revolucionária e o sentimento de estar em casa quando se partilha o mesmo espaço com mais de 2500 pessoas.

Tanto Ella Raidel como Lotte Stoops estarão presentes na projecção do filme.

Destaque também para Tambores do Mundo do realizador brasileiro Sérgio Raposo, que retrata as histórias e tradições à volta dos tambores, em seis países do mundo, Brasil, China, Catar, Portugal, Zâmbia e Moçambique. Embora o instrumento seja o mesmo, a música, religião, cultura, tradição e modernidade são retratadas nas histórias de vida de cada um dos personagens acompanhados pelas lentes deste filme. O final do filme guarda ainda uma surpresa especial, criando um diálogo cultural que aproxima os continentes.

No final da projecção, haverá um show do Grupo Cultural da Associação de Jovens de Nacala (AJN), cujo um dos percussionistas – Chaisson Meja – é o personagem principal de Moçambique.
O filme Tambores passará às 18 horas no Centro Cultural Franco-Moçambicano, com a presença de Luana Dias, coordenadora de produção do filme.

Vozes de Moçambique é o filme apresentado por Susana Guardiola e Françoise Polo dedicado à importância das mulheres no desenvolvimento diário da sociedade. Em África, as mulheres calam e trabalham em silêncio, sem voz. Neste filme, cinco vozes representam o ciclo de vida das mulheres, e a sombra de uma lenda reencarnada em todas elas: Josina Machel, a primeira heroína moçambicana que lutou pela independência e pelos direitos das mulheres.

Vozes de Moçambique será apresentado às 20 horas no teatro Avenida, com a presença de Susana Guardiola.

Da brasileira Marília Rocha, será projectado às 20 horas, no Centro Cultural Brasil- Moçambique, o filme a Falta que me Faz, sobre um grupo de meninas que vive o fim da juventude e, através de conversas, obrigações e prazeres quotidianos, encontra uma maneira particular de contornar a solidão e enfrentar as incertezas de um futuro próximo. Durante um inverno, rodeadas pela Serra do Espinhaço, um grupo de meninas passa pela nostlagia de quem se despede da juventude, e abre os braços à idade adulta, num romantismo que deixa marcas nos seus corpos e na paisagem que as rodeia.

A realizadora estará presente na projecção.

CCBM, 18 h

À Espera no Quintal

Emídio Josine, Moçambique/Brasil, 2010, 15’ 

O documentário retrata as tristes e alegres recordações de 3 idosos que esperam ainda que alguma coisa aconteça nas suas vidas apesar de o tempo já não lhes permitir. Alguns esperam a morte, outros serem felizes e outros nada esperam. Inspirado do conto “Inimigos no Quintal” do escritor  Luis Ruffato.

This documentary portrays the sad and the happy memories of old people who are still waiting for something to happen in their lives, even though time is against them. Some are waiting for death, some for happiness and others are waiting for nothing in particular. Inspired by the story “Enemies in the Garden” by the writer Luis Ruffato.

Acácio

Marília Rocha, Brasil, 2009, 88’

 Entre 1918 e 2008, Acácio Videira e Maria da Conceição dividiram a vida entre Portugal, Angola e Brasil. O filme combina imagens do presente com o acervo produzido por Videira no passado, interligando os três países e refletindo sobre as relações coloniais, a guerra, a memória.

Between 1918 and 2008, Acácio Videira and Maria da Conceição shared their lives between Portugal, Angola and Brazil. The film combines images from the present with Videira’s films and photographs of the past, creating a space between what is seen and what was lived, remembered and forgotten. The couple’s personal history becomes a reflection on colonial relations, war, and memory.

CCBM, 20 h

Chico Buarque o futebol

Roberto Oliveira, Brasil, 2006, 125’

A paixão de Chico Buarque pelo futebol só tem como rival sua ligação com a música, e às vezes leva vantagem. O filme mostra o artista jogando futebol nas cidades de Santos, Rio, Lisboa, Barcelona, Paris e Budapeste e exibe ainda uma selecção de jogadas e golos memoráveis de craques como Pélé, Garrincha, Ronaldo e Ronaldinho.

Chico Buarque’s passion for football is rivalled only by his bond with music and sometimes it is the stronger.This film shows the artist playing football in the cities of Santos, Rio, Lisbon, Barcelona, Paris and Budapest and also displays a series of memorable moments and goals by stars such as Pélé, Garrincha, Ronaldo and Ronaldinho.

 TEATRO AVENIDA, 16 h

Maputo Dancing Dump

Marco Pasquini, Itália/Portugal, 2010, 52’

Na periferia de Maputo, o Bairro do Hulene é a maior lixeira da cidade. Setecentas famílias vasculham no meio do lixo todos os dias. Mas a lixeira, um mundo de degradação e luta contínua pela sobrevivência, é o mesmo espaço no qual grupos de dança hip-hop foram criados. Música e ritmos das comunidades Afro-Americanas, juntamente com agilidade e auto-ironia espontânea, tornam qualquer ocasião num verdadeiro espectáculo. Suares é um bailarino experiente: é ele que ensaia as crianças e que nos apresenta aos restantes rapazes da Lixeira, enquanto treina um sem número de expressões faciais e passos de dança. Um microcosmos feito de relações sociais e económicas, paixões e pequenas guerras, amizades intensas e arrufos repentinos. Histórias e esperanças diárias que nos fazem descobrir a verdadeira força vital deste lugar.

On the outskirts of Maputo, the Hulene district is the city’s largest garbage dump, “lixeira”. 700 families dig and collect in the trash every day. But the dumping ground, a world of degradation and continuous struggle for survival, is the space where groups of hip-hop dance were created. Music and rhythms taken from African-American communities, together with agility and spontaneous self-irony, turn any occasion into a show. Suares is an experienced dancer, he acts as a puppet, a robot or a proud warrior, while he pulls a neverending series of faces. A microcosm made of relationships, passions and small grudges, intense friendships and sudden brawls. Through the daily life of Suares, his stories, his hopes and his dancing steps, we uncover the deep vital strength of this place.

TEATRO AVENIDA, 18 h

Ciclo Joris Ivens

Le 17ème  Parallèle – La Guerre du Peuple, Joris Ivens, França, 1968, 113’

 TEATRO AVENIDA, 20 h

Imperium

Ingrid Vido, Polonia, 2009, 26’

Uma história sobre duas jovens – ucranianas que foram para Rzeszów (Polónia) e actuaram no palco do peculiar Hotel Império como dançarinas exóticas. Testemunhando o seu quotidiano, envolvemo-nos nas suas escolhas e sonhos. Apesar das suas experiências similares, as jovens raparigas possuem atitudes e planos distintos no que diz respeito ao futuro.~

A story about two young girls  from Ukraine who come to Rzeszów (Poland) and perform on stage of the peculiar Empire Hotel as exotic dancers. Witnessing their everyday life we become involved in their choices and dreams. Although their experiences are similar, the girls have totally different attitudes and plans for the future.

An American in Sophiatown

Earl Lloyd Ross , EUA/ Africa do Sul, 2007, 52’

(Produzido por Michael Rogosin)

An American in Sophiatown é um emocionante registo de como a explosiva historia “Come Back África” caracteriza um povo que vive a beira de um precipício. Relata ainda a impressionante história de como um homem, um estrangeiro americano tentou fazer a diferença indo para a negra capital sul-africana armado unicamente uma visão e camaras; como no seio do colapso moral de um sistema ele emergiu com uma das mais poderosas acusações contra o regime do apartheid que alguma vez foi feita.

“An American in Sophiatown” is itself as thrilling a record as the explosive story “Come Back Africa” tells of a people living on the edge of a precipice. It is also the gripping story of how one man, an American outsider who sought to make a difference, came to a black South African township armed only with cameras and a vision; how from the moral collapse of a system he emerged with the most powerful indictment of the apartheid regime that had ever been done.

CINEMA SCALA, 16 h

Frantz Fanon, une vie, un combat, une oeuvre

Cheikh Djemai, Argélia/Tunísia/ França, 2001, 52’

Este documentário descreve a vida de Frantz Fanon, um psiquiatra nascido na Martinica que se converteu num dos símbolos da luta anticolonial. Em 1952 escreveu Pele Negra, Máscaras Brancas, onde nos mostra como as vítimas do racismo acabam por interiorizá-lo. Ainda nos anos 50, ajuda os rebeldes da guerra anticolonial argelina. Foi expulso da Argélia em 1956, e mudou-se para Tunes, onde escreveu para o jornal rebelde El Moudjahid, fundou uma das primeiras clínicas psiquiátricas em África e escreveu vários livros sobre a descolonização. Acabou por morrer de leucemia em Washington, aos 36 anos.

The movie depicts Frantz Fanon’s life. A psychiatrist from Martinique, he became a spokesman for the anti-colonialist struggle. In 1952, Frantz Fanon wrote Black Skin, White Masks, an analysis of racism and the ways in which its victims internalize it. In the 50s, he aided the rebels of the Algerian anti-colonial war. Expelled from Algeria in 1956, he moved to Tunis where he wrote for the rebel newspaper El Moudjahid, founded one of Africa’s first psychiatric clinics and wrote several books on decolonization. He died from leukemia in Washington at the age of 36.

CINEMA SCALA, 18 h

Slam Video Maputo

Ella Raidel, Áustria/Moçambique, 2010, 28’

Artista e realizadora Ella Raidel participou do programa “Forget Africa”, uma série de filmes financiado pelo Festival de Roterdão IFFR 2010 e filmado por realizadores asiáticos e ocidentais, e foi enviada para Moçambique. Ella investigou o auto-retrato de Moçambique nos media onde a sua cultura popular reflecte a intersecção das culturas globais e locais. Conheceu poetas de rua, músicos hip-hop e visitou programas de televisão e rádio. Slam Vídeo Maputo é o making-off destas produções de vídeo. O filme presta tributo à alegre e contagiante cultura popular de Maputo.

Artist and video maker Ella Raidel was participating the ‘Forget Africa’ program, a series of films commissioned by the Rotterdam Festival IFFR 2010 and shot by Asian and Western filmmakers, and was sent to Mozambique. She investigated the self-image in media of Mozambique where its popular culture mirrors the intersection of global and local cultures. She met slam poets, hip-hop musicians and visited TV and radio shows. Slam Vídeo Maputo is the making-of these video productions. The film pays tribute to the cheerful and infectious popular culture of Maputo.

Kontinuasom

Óscar Martinez, Cabo-Verde/ Espanha, 2009, 80’

Beti é bailarina do grupo Raiz di Polon em Cabo-Verde. Desde Lisboa chega-lhe uma proposta para integrar um espetáculo de música caboverdiana e começar a sua carreira ali. Esta oferta desencadeia nela um sentimento profundo acerca do conflito caboverdiano: a identidade construída pela diáspora secular. As dúvidas, a saudade, o desenraizamento pairam sobre ela e a acompanham na sua tomada de decisão. O mesmo dilema de todo o caboverdiano: o desejo de partir, e desejo de voltar …. Expressado e reunido em torno da música, marca da identidade cultural do seu povo.

Beti is a dancer in the Raiz di Polon company in Cape Verde. She receives a offer from Lisbon to join a Cape Verde music show and start a new career there. The offer unchains the deep-set Cape Verde conflict in her: identity built on the Diaspora century after century. Doubts, nostalgia, uprooting, they all soar over her and accompany her decision. The same dilemma that surrounds all Cape Verdeans, the yearning to leave, the yearning to return… Expressed and brought together around music, hallmark of the people of Cape Verde.

 UEM, 14 h

Nos caminhos do Rei Salomão

Chico Carneiro, Brasil, 2010, 60’

Na Amazônia Paraense, norte do Brasil, os barcos são o principal meio de transporte da população ribeirinha. Mais de 50.000 barcos compõem a malha de transporte fluvial, grande parte deles dedicando-se ao transporte de passageiros. Este filme documenta a viagem de 36 horas do Navio-Motor “Rei Salomão”, que transporta passageiros e carga, entre as cidades de Belém e Anajás, na foz do Rio Amazonas. A música foi composta especialmente para o filme, por Allan Carvalho e Cincinatto Jr.

In the Amazonian State of Para in the north of Brazil, boats are the principal means of transport for people living along the banks of the rivers. The river transport fleet comprises over 50 thousand vessels, most of them used to carry passengers. This film documents the 36-hour journey of the motor vessel  – King Solomon”, which transports passengers and cargo between the cities of Belém and Anajás  in the mouth of the Amazon river. The  music was composed especially for the film by  Allan Carvalho and Cincinatto Jr.

 UEM, 16 h

Kinshasa symphony

Martin Baer, Claus Wischmann, Alemanha, 2010, 95’

O filme “Kinshasa Symphony” mostra como a população que vive numa das mais caóticas cidades do mundo, têm a capacidade de criar um dos mais complexos sistemas de cooperação humana alguma vez inventado: uma orquestra sinfónica. Um filme sobre o Congo, sobre a população de Kinshasa e sobre música.

The Film “Kinshasa Symphony” shows how people living in one of the most chaotic cities in the world have managed to forge one of the most complex systems of human cooperation ever invented: a symphony orchestra. It is a film about the Congo, about the people of Kinshasa and about music.

CCBM, 18 h

Fragmentos de um Diário/Traces of a Diary

Marcos Martins e André Príncipe, Portugal, 2010, 90’

Um filme concebido como uma espécie de diário de viagem, um caderno de notas cinematográfico sobre o trabalho de alguns dos mais significativos fotógrafos japoneses contemporâneos. Através de uma série de encontros com os fotógrafos, os realizadores reflectem sobre a natureza do acto de fazer imagens e contar histórias, sobre o próprio processo diarístico.

Conceived as a sort of traveller’s diary, a film notebook on the work of some of the more relevant contemporary Japanese photographers. Throughout a series of meetings with the photographers, the directors reflect upon nature and on the act of making images and telling stories, on the diary process itself.

 CCBM, 20 h

 Videoarte Certas Dúvidas de William Kentridge

Um dos mais importantes criadores sul-africanos do período pós-apartheid, William Kentridge transita com fluidez entre vídeo, filme, desenho, escultura, instalação, teatro e ópera, produzindo uma combinação única de referências e técnicas. . “Certas Dúvidas de William Kentridge”,  acompanha o artista em Joanesburgo e em sua passagem pelo Brasil, registrando seu pensamento e seu processo de trabalho. Kentridge fala do impacto das contradições sociais sobre sua obra e dos personagens que surgem em animações feitas a partir de desenhos a carvão, num processo particular que consiste em apagar e refazer os traços em preto-e-branco.

CCBM, 18 h

 Fragmentos de um Diário/Traces of a Diary

Marcos Martins e André Príncipe, Portugal, 2010, 90’

Um filme concebido como uma espécie de diário de viagem, um caderno de notas cinematográfico sobre o trabalho de alguns dos mais significativos fotógrafos japoneses contemporâneos. Através de uma série de encontros com os fotógrafos, os realizadores reflectem sobre a natureza do acto de fazer imagens e contar histórias, sobre o próprio processo diarístico.

Conceived as a sort of traveller’s diary, a film notebook on the work of some of the more relevant contemporary Japanese photographers. Throughout a series of meetings with the photographers, the directors reflect upon nature and on the act of making images and telling stories, on the diary process itself.

 CCBM, 20 h

 Videoarte – Certas Dúvidas de William Kentridge

Um dos mais importantes criadores sul-africanos do período pós-apartheid, William Kentridge transita com fluidez entre vídeo, filme, desenho, escultura, instalação, teatro e ópera, produzindo uma combinação única de referências e técnicas. . “Certas Dúvidas de William Kentridge”,  acompanha o artista em Joanesburgo e em sua passagem pelo Brasil, registrando seu pensamento e seu processo de trabalho. Kentridge fala do impacto das contradições sociais sobre sua obra e dos personagens que surgem em animações feitas a partir de desenhos a carvão, num processo particular que consiste em apagar e refazer os traços em preto-e-branco.

 TEATRO AVENIDA, 16 h

Maciene

Isabel Noronha, Moçambique, 2009, 61’

Uma lenda antiga conta que numa pequena aldeia na província de Gaza,  habita um Povo com o especial talento de entrelaçar a beleza do mundo dos antepassados com a riqueza do mundo moderno. Por isso, em Maciene,  estes dois mundos habitam hoje ainda em amplo respeito e a Vida é tecida a cada dia em gestos que a projectam para Além do Sonho. Este Povo zela para que Maciene nunca deixe de ser, tal como reza a lenda, “o lugar onde Deus encontrou a Serenidade”.

An ancient legend tells that, in a small village in the Mozambican province of Gaza, lives a people with the special talent of interweaving the beauty of the world of the ancestors with the richness of the modern world. Thus in Maciene, these two worlds live together today still in mutual respect, and Life is woven every day in gestures that project it beyond the Dream. This people is striving so that Maciene will never cease to be, as the legend says, “the place where God found Serenity”.

 Salani

Isabel Noronha, Vivan Altman, Moçambique, 2010, 26’

Salani (adeus), retrata a vivência de três adolescentes moçambicanos de 11, 16 e 17 anos que, forçados pela sua familia ou na ilusãode encontrar melhores condições de vida, emigraram para a África do Sul.  Numa fluente mistura entre o documentário e a animação, este filme revela os contornos da utilização da “tradição“ por algumas famílias para encobrir a exploração das suas meninas, bem como os meandros do tráfico, exploração sexual e laboral, de que estes adolescentes pobres, ilegais e desprotegidos, se vêm facilmente reféns. 

Salani (farewell) portrays the lives of three Mozambican adolescents of 11, 16 and 17 years of age, who migrate to South Africa, either forced by their families or under the illusion they will find better living conditions. In a fluent mix of documentary and animation, this film reveals the knots that some families tie themselves into using “tradition” to mask the exploitation of their daughters, as well the twists and turns of the trafficking and sexual and labour exploitation by which these poor, illegal and defenceless adolescents are easily held hostage.    

TEATRO AVENIDA, 18 h

Mafalala Blues

Camila de Sousa, Moçambique, 2010, 8’

Este filme é sobre a busca por um lugar identitário. Entre madeira e zinco, entre o subúrbio e a cidade, entre bairro e nação, encontrei uma casa: lugar de memórias e histórias sobre o colonialismo, a luta de libertação e a tristeza do exílio. Nesta casa localizada no bairro da Mafalala encontram-se várias gerações dispersas no tempo. É a casa, metáfora deste lugar identitário, que me faz lembrar as histórias que não vivi, as histórias que o zinco um dia me contou.

This is a film about the search for identity in a place. Among the wood and corrugated iron, between the township and the city, between the neighbourhood and the nation, I found a house: a place of memories and stories about colonialism, the liberation struggle, sadness and exile.In this house, located in Mafalala Township, several generations are to be found spread over time. The house is a metaphor for this place of identity that reminds me of stories that I have not experienced, stories the corrugated iron recounted to me one day.

O gigante de papelão

Bárbara Tavares, Brasil, 2010, 11’

 O Gigante de Papelão é um documentário que conta a história da arte do artista plástico Sergio Cezar e seu poder de transformação. Sergio, também conhecido como o “Arquitecto do Papelão”, usa materiais descartados para retratar casas, favelas, e cidades inteiras. Seu trabalho propõe uma verdadeira reciclagem no olhar.

 Think BIG THINK small-scale is a short documentary about Sergio Cezar’s art and its power of transformation. Sergio is also known as “Cardboard Architect”. He uses micro-trash to recreate facades, slums and whole cities. His work is an invitation for recycling the way we look at things.

O lendário “Tio Liceu” e os Ngola Ritmos

Jorge António, Angola/Portugal, 2010, 52’

Este documentário percorre o universo criativo do Liceu Vieira Dias, pai da música popular angolana e fundador do grupo Ngola Ritmos, numa viagem de cruzamento do passado e do presente, desde o final dos anos 40 até aos nossos dias. O documentário confirma a originalidade e contribuição permanente que o ‘Tio Liceu’ oferece à história cultural, social e politica de Angola.

This documentary travels through the creative universe of Liceu Vieira Dias, the father of popular angolan music and the founder of the Ngola Ritmos, on a trip to the crossroads between the past and the present, between the forties and our days. The documentary serves to confirm “Tio Liceu’s” originality and constant contribution to the cultural, social and political history of Angola.

TEATRO AVENIDA, 20 h

Fantasia Lusitana

João Canijo, Portugal, 2010, 65’

Portugal viveu a Segunda Guerra Mundial dentro de um mundo de fantasia. Portugal era um paraíso de paz e tranquilidade, totalmente alheio a uma guerra que só dizia respeito aos outros. Construído exclusivamente a partir de imagens de arquivo, o documentário de João Canijo funda-se no contraste entre as imagens fantasistas da propaganda e os testemunhos escritos de refugiados célebres (Erika Mann, Alfred Döblin e Antoine de Saint-Exupéry, lidos pelos actores Hanna Schygulla, Rudiger Vogler e Christian Patey) de passagem por Lisboa, à espera do barco que os livre do nazismo.

Portugal went through the Second World War in a haze of illusion.  Portugal was a haven of calm and tranquillity  completely detached from the war that was entirely the concern of others. Built exclusively from archive footage, João Canijo’s documentary is based on the contrast between the fanciful propaganda images and the written testimony of well-known refugees (Erika Mann, Alfred Döblin and Antoine de Saint-Exupéry, read by the actors Hanna Schygulla, Rudiger Vogler and Christian Patey) passing through Lisbon to catch a ship to escape the Nazis.

CINEMA SCALA, 16 h

Afrique 50

René Vautier, França, 1950, 17’

 África 50 é o primeiro filme francês anticolonialista. O realizador, com apenas 21 anos, decidiu filmar a realidade: a falta de professores e médicos, os crimes cometidos pelo exército francês em nome do povo francês, a instrumentalização dos povos colonizados… O filme foi proibido durante mais de 40 anos e René Vautier foi aprisionado durante vários meses. 

Africa 50 is the first french anti-colonialist film. The director, who was only 21 years old, decided to film the truth: lack of teachers and doctors, the crimes commited by the French Army in the name of France, the instrumentalization of the colonized peoples…The film was forbidden during 40 years and René Vautier was incarcerated for several months.

Demain à Nanguila

Joris Ivens, Mali, 1960, 50’

Amanhã em Nanguila segue os passos de um jovem maliense para mostrar os danos do êxodo rural. O filme  questiona as decisões governamentais  depois da independência e sua intenção de deter a onda de imigração das pessoas para as cidades, para desenvolver o país pelo incentivo à agricultura. Um retrato de Mali nos anos 60 através da vida nocturna de Bamako, os monumentos da capital, as mulheres dobradas pelo peso das várias tarefas… 

Nanguila Tomorrow follows the steps of a young malian man, illustrating the detrimental effects of rural exodus. The film  questions the Government’s decisions after obtaining Independence in its attempt to put a stop to the wave of people immigrating to the cities and to develop the country based on agriculture. A portrait of Mali in the sixties by means of the nightlife in Bamako, the capital’s monuments, women bent under the weight of too many tasks…

CINEMA SCALA, 18 h

 Ceux de la colline

Berni Goldblat, Suiça, 2009, 72’

Em torno de uma mina de ouro improvisada sobre a colina de Diosso em Burkina Faso reuniram-se milhares de pessoas com um objectivo comum de fazer fortuna. Garimpeiros, dinamiteiros, comerciantes, prostitutas, crianças, curandeiros, cabeleireiros e marabouts compõem essa cidade efémera, construída à pressa, sobre as suas lutas diárias contra si mesmos e contra os outros. Apesar dos perigos e das desilusões, a corrida pelo ouro continua implacável, e parecem incapazes de abandonar este lugar fora do tempo.

A makeshift gold mine on the remote Diosso hillside in Burkina Faso has attracted a swarm of gold-diggers and dynamite blasters, healers and dealers, vendors and prostitutes, children, holy man and barbers. Living in a promiscuous closeness of a crowded and improvised town, these men and women are recklessly determined to find the gold that will change their lives. The film explores their desperate quest for fortune and elusive happiness. The gold rush is relentless.

UEM, 14 h

 Os 5 elementos

Madjer Rachid, Moçambique, 2009, 20’

O filme procura absorver o pensamento social de 5 elementos (mc, dj, b. boy, graffity, consciencialização) e contribuir para a compreensão social e política do sujeito periférico.

The film seeks to soak up the social thinking of the “Five Elements”(mc, dj, b. boy, grafitty, conciencialiação) and help others to understand the outskirts both socially and politically.

Maputo Dancing Dump

Marco Pasquini, Itália/Portugal, 2010, 52’

Na periferia de Maputo, o Bairro do Hulene é a maior lixeira da cidade. Setecentas famílias vasculham no meio do lixo todos os dias. Mas a lixeira, um mundo de degradação e luta contínua pela sobrevivência, é o mesmo espaço no qual grupos de dança hip-hop foram criados. Música e ritmos das comunidades Afro-Americanas, juntamente com agilidade e auto-ironia espontânea, tornam qualquer ocasião num verdadeiro espectáculo. Suares é um bailarino experiente: é ele que ensaia as crianças e que nos apresenta aos restantes rapazes da Lixeira, enquanto treina um sem número de expressões faciais e passos de dança. Um microcosmos feito de relações sociais e económicas, paixões e pequenas guerras, amizades intensas e arrufos repentinos. Histórias e esperanças diárias que nos fazem descobrir a verdadeira força vital deste lugar.

On the outskirts of Maputo, the Hulene district is the city’s largest garbage dump, “lixeira”. 700 families dig and collect in the trash every day. But the dumping ground, a world of degradation and continuous struggle for survival, is the space where groups of hip-hop dance were created. Music and rhythms taken from African-American communities, together with agility and spontaneous self-irony, turn any occasion into a show. Suares is an experienced dancer, he acts as a puppet, a robot or a proud warrior, while he pulls a neverending series of faces. A microcosm made of relationships, passions and small grudges, intense friendships and sudden brawls. Through the daily life of Suares, his stories, his hopes and his dancing steps, we uncover the deep vital strength of this place.

UEM, 16 h

 Acácio

Marília Rocha, Brasil, 2009, 88’

Entre 1918 e 2008, Acácio Videira e Maria da Conceição dividiram a vida entre Portugal, Angola e Brasil. O filme combina imagens do presente com o acervo produzido por Videira no passado, interligando os três países e refletindo sobre as relações coloniais, a guerra, a memória.

Between 1918 and 2008, Acácio Videira and Maria da Conceição shared their lives between Portugal, Angola and Brazil. The film combines images from the present with Videira’s films and photographs of the past, creating a space between what is seen and what was lived, remembered and forgotten. The couple’s personal history becomes a reflection on colonial relations, war, and memory.

CCBM, 16 h 

Videoarte Mau Wal: Encontros Traduzidos

O brasileiro Maurício Dias e o suíço Walter Riedweg costumam dizer que seu ateliê são as ruas. Da observação dos espaços urbanos e das pessoas que os povoam surgem os projetos e instalações que criam juntos desde a década de 1990. Centradas nas idéias de encontro, identidade e territorialidade, suas obras tocam questões socioculturais e partem de interferências em grupos e situações específicas, que são documentadas e transformadas em instalações. Imediatamente associáveis à arte pública, elas vão muito além dessa fronteira.

 CCBM, 18 h

 Lumumba, la mort du prophète

Raoul Peck, Alemanha/Suíça/França, 1990, 69’

Um documentário criativo onde a biografia e a história, os testemunhos e as imagens de arquivo constituem a trama de uma reflexão sobre a figura de Patrice Lumumba, sobre o assassinato político, os media e a memória. Uma ocasião única para recordar, 50 anos depois, a vida e lenda de Lumumba, líder independentista e Primeiro-ministro da República Democrática do Congo em 1960.

A Creative documentary in which biography and history, testimonies and stock footage constitute the plot of this reflection on the figure of Patrice Lumumba, political assassination, the media and the memory. A unique opportunity to recover, 50 years later, the life and legend of Lumumba, independentist leader and Prime Minister of the Democratic Republic of the Congo in 1960.

CCBM, 20 h

 Videoarte : vídeos da colecção da fundação PLMJ e City one minutes

 TEATRO AVENIDA, 16 h

 Ciclo Joris ivens

Vento > Filmar o invisível

Wind > Shoot the invisible

 1. Pour le Mistral, Joris Ivens, França, 1965, 30’

2. Une histoire de vent, Joris Ivens & Marceline Loridan, França, 1988, 77’

 TEATRO AVENIDA, 18 h

 Gaza Hospital 

Marco Pasquini, Italy, 2009, 84’

Um hospital em Beirute – no inicio da década de 80 centro medico do campo de refugiados de Sabra e Shatila, hoje centro de acolhimento para sem-abrigo. Memorias de grandes eventos e suas vítimas.

A hospital in Beirut – in the early 1980’s the medical center for the refugee camps of Shatila and Sabra, today a shelter for the homeless. Memories of great events and their victims.

 TEATRO AVENIDA, 20 h

Frantz Fanon, une vie, un combat, une oeuvre

Cheikh Djemai, Argélia/Tunísia/ França, 2001, 52’

Este documentário descreve a vida de Frantz Fanon, um psiquiatra nascido na Martinica que se converteu num dos símbolos da luta anticolonial. Em 1952 escreveu Pele Negra, Máscaras Brancas, onde nos mostra como as vítimas do racismo acabam por interiorizá-lo. Ainda nos anos 50, ajuda os rebeldes da guerra anticolonial argelina. Foi expulso da Argélia em 1956, e mudou-se para Tunes, onde escreveu para o jornal rebelde El Moudjahid, fundou uma das primeiras clínicas psiquiátricas em África e escreveu vários livros sobre a descolonização. Acabou por morrer de leucemia em Washington, aos 36 anos.

The movie depicts Frantz Fanon’s life. A psychiatrist from Martinique, he became a spokesman for the anti-colonialist struggle. In 1952, Frantz Fanon wrote Black Skin, White Masks, an analysis of racism and the ways in which its victims internalize it. In the 50s, he aided the rebels of the Algerian anti-colonial war. Expelled from Algeria in 1956, he moved to Tunis where he wrote for the rebel newspaper El Moudjahid, founded one of Africa’s first psychiatric clinics and wrote several books on decolonization. He died from leukemia in Washington at the age of 36.

CINE-TEATRO GILBERTO MENDES, 16 h

Chico Buarque o futebol

Roberto Oliveira, Brasil, 2006, 125’

A paixão de Chico Buarque pelo futebol só tem como rival sua ligação com a música, e às vezes leva vantagem. O filme mostra o artista jogando futebol nas cidades de Santos, Rio, Lisboa, Barcelona, Paris e Budapeste e exibe ainda uma selecção de jogadas e golos memoráveis de craques como Pélé, Garrincha, Ronaldo e Ronaldinho.

Chico Buarque’s passion for football is rivalled only by his bond with music and sometimes it is the stronger.This film shows the artist playing football in the cities of Santos, Rio, Lisbon, Barcelona, Paris and Budapest and also displays a series of memorable moments and goals by stars such as Pélé, Garrincha, Ronaldo and Ronaldinho.

CINE-TEATRO GILBERTO MENDES, 18 h

More than just a Game

Junaid Ahmed, África do Sul, 2005, 89’

 Contada através das histórias de cinco ex-prisioneiros, esta é a história de militantes políticos enviados para Robben Island nos anos 1960, que se elevam além da sua prisão, ao criar um campeonato de futebol e encontrar uma saída para a sua paixão e compromisso com a disciplina, através do “jogo bonito”.

Told through the stories of five former prisoner, this is the story of political activists sent to Robben Island in the 1960s who rise above their incarceration by creating a football league and finding an outlet for their passion and commitment to discipline through the Beautiful Game.

CINE-TEATRO GILBERTO MENDES, 20 h

Em um Dado Momento

Ramon Gieling, Holanda, 2004, 91’

Johan Cruijff tem o dom de fazer coisas que mudaram dramáticamente o curso da sua vida e carreira. Por exemplo, conseguiu conquistar todos os catalães ao chamar o seu filho Jordi, nome de um santo catalão, nome que na altura era proibido usar em Espanha. Ramon Gieling revela admiração profunda dos catalães pelo seu salvador. Não só por causa do seu talento de futebolista mas também e especialmente porque ele deu de volta aos catalães a sua auto-confiança.

Johan Cruijff has the power to do things that dramatically changed the course of his life and career. For example, he managed to win over all the Catalans by calling his son Jordi, the name of a Catalan saint, even though its use in Spain was prohibited. Ramon Gieling reveals the profound admiration of the Catalans for their saviour. No only because of his talent as a footballer, but also and especially because he gave the Catalans their self-confidence back.

CINEMA SCALA, 16 h

Nos caminhos do Rei Salomão

Chico Carneiro, Brasil, 2010, 60’

Na Amazônia Paraense, norte do Brasil, os barcos são o principal meio de transporte da população ribeirinha. Mais de 50.000 barcos compõem a malha de transporte fluvial, grande parte deles dedicando-se ao transporte de passageiros. Este filme documenta a viagem de 36 horas do Navio-Motor “Rei Salomão”, que transporta passageiros e carga, entre as cidades de Belém e Anajás, na foz do Rio Amazonas. A música foi composta especialmente para o filme, por Allan Carvalho e Cincinatto Jr.

In the Amazonian State of Para in the north of Brazil, boats are the principal means of transport for people living along the banks of the rivers. The river transport fleet comprises over 50 thousand vessels, most of them used to carry passengers. This film documents the 36-hour journey of the motor vessel  – King Solomon”, which transports passengers and cargo between the cities of Belém and Anajás  in the mouth of the Amazon river. The music was composed especially for the film by  Allan Carvalho and Cincinatto Jr.

Khanimambo Moçambique

Constance Latourte, Moçambique/Chile/França, 2010, 54’

Khanimambo Moçambique mostra a rota de exilados chilenos durante a ditadura de Pinochet, a partir de 1973. Centenas deles foram chamados pelo governo moçambicano para trabalhar ao serviço da revolução  que se iniciava no país. Seguindo os passos de Patrícia, uma das primeiras chilenas a chegar a Moçambique, falecida em 2008, este documentário reconstrói um comovente episódio da Guerra-fria e questiona a noção de identidade por meio da experiência do exílio e do compromisso político.

Khanimambo Moçambique (Thank you Mozambique) traces the journey of Chileans who were exiled during the dictatorship of Pinochet after 1973. Hundreds of them were called on by the Mozambican government to work in the service of the communist revolution that was about to launch in the country. This documentary follows the trajectory of Patrícia, one of the first Chileans to arrive in the country and who died in 2008, in a moving reconstruction of a Cold War episode. It questions the idea of identity through the experience of exile and political commitment.

CINEMA SCALA, 18 h

O Cinema Moçambicano – Assim estamos Livres… 1975/2010

Silvia Vieira e Bruno Silva, Portugal, 2010, 16’

Através de entrevistas a profissionais ligados à produção e realização de cinema em Moçambique o documentário traça o perfil do cinema moçambicano entre 1975 e 2010.

This documentary traces the path of Mozambican feature filmmaking from 1975 to 2010 through interviews with film producers and directors in Mozambique.

Fantasia Lusitana

João Canijo, Portugal, 2010, 65’

Portugal viveu a Segunda Guerra Mundial dentro de um mundo de fantasia. Portugal era um paraíso de paz e tranquilidade, totalmente alheio a uma guerra que só dizia respeito aos outros. Construído exclusivamente a partir de imagens de arquivo, o documentário de João Canijo funda-se no contraste entre as imagens fantasistas da propaganda e os testemunhos escritos de refugiados célebres (Erika Mann, Alfred Döblin e Antoine de Saint-Exupéry, lidos pelos actores Hanna Schygulla, Rudiger Vogler e Christian Patey) de passagem por Lisboa, à espera do barco que os livre do nazismo.

Portugal went through the Second World War in a haze of illusion.  Portugal was a haven of calm and tranquillity  completely detached from the war that was entirely the concern of others. Built exclusively from archive footage, João Canijo’s documentary is based on the contrast between the fanciful propaganda images and the written testimony of well-known refugees (Erika Mann, Alfred Döblin and Antoine de Saint-Exupéry, read by the actors Hanna Schygulla, Rudiger Vogler and Christian Patey) passing through Lisbon to catch a ship to escape the Nazis. 

UEM, 14 h

Grandma’s not home

Tiny Mungwe, Africa do Sul, 2008, 48’

Para maioria da juventude de Durban, a oferta nocturna é simplesmente a única forma de escape; é uma cultura cada vez mais infecciosa, a vida nocturna tornou-se quase uma religião. Locais onde as pessoas podem articular a sua individualidade. A juventude negra quer ser vista nos sítios certos, com as pessoas certas, brincando com os brinquedos certos. Fora desse cenário, emergiu um subgénero de música chamado Durban Kwaito Music. Preenchido por letras controversas, esta musica esta a espalhar-se em todo o país criando uma proeminente indústria em Durban.

For many upwardly mobile young people in Durban, clubbing offers the only and simplest form of escapism; it’s a culture so infectious, clubbing almost becomes a religion, a place where people can articule their individuality. Black youth want to be seen in the right places, with the right people, and playing with the best toys. Out of this scene has emerged a music subgenre called Durban Kwaito Music. Filled with controversial lyrics, this music is taking over the country and creating a prominent entertainment industry in Durban.  

UEM, 16 h

 One Goal

Sergi Agustí, Serra Leoa/Espanha, 2008, 26’

 One Goal é um golo, mas também uma paixão. Este documentário segue o caminho em direcção à paz que um grupo de jovens amputados começou na Serra Leoa há anos atrás. Com o poder do seu jogo tornaram-se um exemplo para a sociedade. De ícones de guerra a ícones de paz e esperança, eles transformaram as suas vidas através de uma paixão comum: futebol.

 One Goal is an objective, but also a passion. This documentary follows the path towards peace that a group of young amputated men began in Sierra Leone years ago. Through the power of their game, they have become an example for their society. From icons of war to icons of peace and hope, they transformed their lives through a shared passion: football.

De corpo e alma

Matthieu Bron, Moçambique, 2010, 60’

Victoria tem duas famílias, duas mães: a biológica e a adoptiva (Ângela). Ângela, encontrou Victoria no hospital pouco antes da amputação do seu braço. Transmitiu-lhe até a sua morte valores e forças para vencer na vida. Ao longo da narrativa, os retratos de Victoria, Vasco e Mariana, portadores de deficiências físicas tornam perceptíveis os desafios físicos e psicológicos quotidianos, tratando a questão da diferença e do consequente engajamento social.

(De corpo e alma – Body and soul) Victoria has two families, two mothers: her birth mother and her adoptive mother (Ângela). Ângela met Victoria at the hospital a little before her arm was amputated. Until her death, she passed on the values and strength to triumph in life. Throughout the narrative that paints portraits of Victoria, Vasco and Mariana, three people with a disability, the physical and psychological challenges of daily life become perceptible. It is a question of difference and social commitment.

UEM, 20 h

Festival Panafricano de Argel

William Klein, Argelia/França/Alemanha, 1969, 112’

Festival Panafricano de Argel é um documentário filmado em 1969. William Klein segue os preparativos, os ensaios, os concertos. Mistura imagens de entrevistas a escritores e representantes dos movimentos de libertação, com imagens de arquivo, permitindo que aborde temas do colonialismo, neocolonialismo, exploração colonial, as lutas e batalhas dos movimentos revolucionários pela Independência, a cultura africana…

Festival panafricain d’Alger is a documentary shot in 1960. William Klein follows the preparations, the rehearsals, the concerts… He blends images of interviews made to writers and advocates of the freedom movements with stock images, thus allowing him to touch on such matters as colonialism, neocolonialism, colonial exploitation, the struggles and battles of the revolutionary movements for Independence.

 

CCBM, 18 h

Filhos de João

Henrique Dantas, Brasil, 2009, 75’

O filme traça um rico panorama da Música Popular Brasileira dos anos 60 e 70, através do revolucionário e inovador grupo musical “Novos Baianos”. Particularmente, trata da influência de João Gilberto sobre os rumos musicais do grupo, e da importância do mesmo para o aprioramento da música tocada e composta por eles. Traz uma retrospectiva do estilo de vida comunitário adoptado durante algum tempo e a influência sobre os resultados no trabalho.

The film draws a picture of the rich panorama of Brazilian popular music of the 1960s and 1970s through the revolutionary and innovative band the “Novos Baianos”. In particular, it deals with the influence of João Gilberto on the musical direction of the group and of his importance for the refinement of the music that they composed and played. It brings us a retrospective on the style of community living adopted for a while and its influence on their output and work.

CCBM, 20 h

Sergio, um brasileiro no mundo

Greg Barker, EUA, 2009, 94’

O diplomata brasileiro Sérgio Vieira de Mello dedicou a vida a cuidar de pessoas comuns em áreas de risco. Funcionário das Nações Unidas, acostumou-se a negociar com criminosos de guerra e a sacrificar sua vida pessoal para cuidar de refugiados. Quando estava prestes a ficar ao lado da mulher que amava, veio o convite para ser embaixador das Nações Unidas no Iraque. Convencido de que era o único homem para o cargo, aceitou, sem saber que um atentado terrorista em Agosto de 2003 terminaria por tirar sua vida. Baseado no livro O Homem que Queria Salvar o Mundo, de Samantha Power.

The Brazilian diplomat Sérgio Vieira de Mello dedicated his life to caring for ordinary people in areas of risk. As a United Nations official, he became accustomed to negotiating with war criminals and sacrificing his personal life to take care of refugees. When he was about to remain at the side of the wife he loved, an invitation came for him to become the United Nations ambassador in Iraq. Convinced that he was the only man for the job, he accepted, without knowing that a terrorist attack in August 2003 would end up taking his life. Based on the book Chasing the flame: Sergio Vieira de Mello and the fight to save the world, by Samantha Power.

TEATRO AVENIDA, 16 h

O Cinema Moçambicano – Assim estamos Livres… 1975/2010

Silvia Vieira e Bruno Silva, Portugal, 2010, 16’

Através de entrevistas a profissionais ligados à produção e realização de cinema em Moçambique o documentário traça o perfil do cinema moçambicano entre 1975 e 2010.

This documentary traces the path of Mozambican feature filmmaking from 1975 to 2010 through interviews with film producers and directors in Mozambique.

Fragmentos de um Diário/Traces of a Diary

Marcos Martins e André Príncipe, Portugal, 2010, 90’

 Um filme concebido como uma espécie de diário de viagem, um caderno de notas cinematográfico sobre o trabalho de alguns dos mais significativos fotógrafos japoneses contemporâneos. Através de uma série de encontros com os fotógrafos, os realizadores reflectem sobre a natureza do acto de fazer imagens e contar histórias, sobre o próprio processo diarístico.

Conceived as a sort of traveller’s diary, a film notebook on the work of some of the more relevant contemporary Japanese photographers. Throughout a series of meetings with the photographers, the directors reflect upon nature and on the act of making images and telling stories, on the diary process itself.

 TEATRO AVENIDA, 18 h

 Mwana – um olhar

Luíz Chaves, Moçambique, 2009, 38’

Como é ser criança em Moçambique? Mwana, que significa “filho” ou “criança” na língua bantu, traz um olhar para provocar uma discussão neste aspecto. O vídeo foi realizado em parceria com um grupo de crianças da Associação Horizonte Azul, capacitadas durante uma semana em produção audiovisual, afim de desenvolver o tema a partir da cidade de Maputo.

What is it like to be a child in Mozambique? Mwana, which means “son/daughter” or “child” in Bantu languages, provides a glimpse aimed at provoking discussion of this topic. The film was made in partnership with a group of children from the Blue Horizon Association (Associação Horizonte Azul). They received a week’s training in audiovisual production in order to develop this topic in the city of Maputo.

 Sob a poeira da estrada

Luiz Chaves, Moçambique, 2009, 38’

O documentário discute a questão do tráfico de pessoas que acontece em território moçambicano, destacando definições, rotas, redes de traficantes, fragilidades sociais e legais, abordando as causas e consequências com declarações de especialistas no assunto. De forma aberta, o video coloca à mesa depoimentos da sociedade civil, do governo, da imprensa e resgata imagens que mostram pessoas traficadas, rostos de traficantes, além de cenas do esquema de travessia ilegal na fronteira de Ressano Garcia.

This documentary examines the question of human trafficking which is happening in Mozambique. It analyses definitions, routes, networks of traffickers and the social and legal weaknesses, looking at the causes and consequences, with statements from specialists in these matters. The film openly weighs up evidence provided by civil society, the government and the media and shows images of the victims of trafficking and the faces of traffickers, as well as scenes of how people are taken illegally over the border at Ressano Garcia.

 TEATRO AVENIDA, 20 h

 Behind the Lines

Margaret Dickinson, UK/Moçambique, 1971, 53’

Um filme acerca da luta armada contra o regime colonial português em Moçambique, e da vida quotidiana nas zonas libertadas pela FRELIMO. Feito com o suporte e cooperação da Frente de Libertação Moçambicana, este filme de grande valor é uma elucidativa referencia dos dias finais da colonização portuguesa em Moçambique.

A classic account of the struggle against Portuguese colonial rule in Mozambique and of life in liberated zones. Made at the time with the support and cooperation of the Mozambican liberation movement, this film is an invaluable and enlightening reference of the end days of Portuguese colonization in Mozambique.

CINE-TEATRO GILBERTO MENDES, 16 h

One Goal

Sergi Agustí, Serra Leoa/Espanha, 2008, 26’

One Goal é um golo, mas também uma paixão. Este documentário segue o caminho em direcção à paz que um grupo de jovens amputados começou na Serra Leoa há anos atrás. Com o poder do seu jogo tornaram-se um exemplo para a sociedade. De ícones de guerra a ícones de paz e esperança, eles transformaram as suas vidas através de uma paixão comum: futebol.

 One Goal is an objective, but also a passion. This documentary follows the path towards peace that a group of young amputated men began in Sierra Leone years ago. Through the power of their game, they have become an example for their society. From icons of war to icons of peace and hope, they transformed their lives through a shared passion: football.

Solo, a lei da selva

Jos de Putter, Holanda, 1994, 55’

Nas favelas do Rio de Janeiro, o futebol parece ser a única esperança para escapar à cultura do crime e da violência. Jovens rapazes que jogam na rua sonham com um futuro como profissionais, equipamento e equipas de verdade. Este filme centra-se sobre alguns destes rapazes, no contexto do quotidiano das favelas, na altura da realização do Campeonato do Mundo de Futebol. Será que os seus sonhos se irão realizar?

In the favelas of Rio de Janeiro, soccer seems the only hope for escaping a culture of violence and crime. Young boys playing in the streets dream of professional futures, of real jerseys, and of real teams. This film focuses in on a number of these boys, within the context of everday life in the favelas, at the time of the Soccer World Championships. Will their dream come true?

 CINE-TEATRO GILBERTO MENDES, 18 h

A Bola

Orlando Mesquita, Moçambique, 2001, 6’

Um filme, singelo e divertido, inserido no quadro da necessária reflexão sobre o espectro da SIDA em Moçambique. Por ano, são distribuídos 20 milhões de preservativos em Moçambique. Dizem as estatísticas que, no país, existem quatro milhões de homens sexualmente activos, ou seja, isso significa que cada um usa menos de 5 preservativos por ano. Entretanto muitas crianças compram-nos para fazerem bolas de futebol. Sem preconceitos…

A short and simple, though entertaining film, within the framework of the necessary reflection on the spectre of AIDS in Mozambique. Some 20 million condoms are distributed every year in Mozambique. The statistics say that there are four million sexually active men in the country, which means that each of them uses fewer than five condoms a year. Meanwhile, many children buy them to make footballs. Completely unbiased.

João

Andre Iki Siqueria e Beto Macedo, Brasil, 2007/2008, 80’

Jogador, técnico, jornalista e polemista, João Saldanha (1917-1990) sempre foi bom de briga. A valentia que exibiu dentro de campo, no curto período em que foi jogador, levou-o a aceitar o posto de técnico da mesma equipa do Botafogo. Apesar de não ter nenhuma experiência, conquistou um campeonato estadual, em 1957. Com a mesma coragem para distribuir críticas, foi um dos comentaristas desportivos mais temidos e polémicos do seu tempo. Chegou ao comando da selecção brasileira, classificando-a nas eliminatórias de 1970, em que o Brasil conquistaria o tricampeonato, já sem a sua presença. Militante do Partido Comunista Brasileiro desde os anos 40, tornara-se um estranho no ninho da CBF em plena ditadura Médici. 

João Saldanha (1917-1990), former Brazilian soccer player, coach, journalist and polemist, was always a tough guy. The same prowess he showed in the field in his brief tenure as a player led him to take up position as coach for Rio’s Botafogo Football Club. Though he had no previous experience, his team won a state championship in 1957. Also known for his harsh criticisms, Saldanha was one of the most feared and controversial soccer broadcasters of his time. Head of the Brazilian soccer team during the 60’s, he led the country to win the 1970 World Cup in México when Brazil became three times champion. Na activist of the Brazilian Communist Party since the 40’s, he was the odd man out of the Conderation of Brazilian Football (CBF) during the military dictatorship in Brazil.

CINE-TEATRO GILBERTO MENDES, 20 h

 Fahrenheit 2010

Craig Tanner, Austrália / África do Sul, 2009, 90’

A Copa do Mundo 2010 é certamente a maior ocasião que marca a Africa do Sul desde o fim do Apartheid e as primeiras eleições democraticas. Fahrenheit 2010 examina sistematicamente as expectativas criadas pela Copa do Mundo. O ponto central são as disparidades socio-economicas e o debate de saber se as obras grandiosas irão deixar o país com elefantes brancos. Os entrevistados incluem Danny Jordaan, Desmond Tutu, Michael Sutcliffe, Jomo Sono, Dennis Brutus e também entre outros, trabalhadores da construção civil, vendedores de rua, o jogador de futebol e o sangoma com as respostas aos problemas dos Bafana Bafana. Fahrenheit 2010 é um contributo equilibrado e oportuno para o debate sobre a organisação da Copa do Mundo e sua relevância para o Sul-africano comum.

The 2010 Soccer World Cup is arguably the most momentous occasion in South Africa since the end of Apartheid and the first democratic elections. Fahrenheit 2010 systematically examines the expectations of the 2010 FIFA World Cup.  Focal points are South Africa’s socio-economic disparities, and debate as to whether the erection of state of the art sports areas will leave the country with white elephants it can ill afford. Those interviewed include Danny Jordaan, Desmond Tutu, Michael Sutcliffe, Jomo Sono, Dennis Brutus and also, amongst others, construction workers, street traders, soccer player and the sangoma with the answer to Bafana Bafana’s woes. Fahrenheit 2010 is a measured and timely addition to the debate on the organising of the World Cup and its relevance to ordinary South Africans.

CINEMA SCALA, 16h

Intervalo

Nelson Mabuie, Moçambique, 2009, 15’

Mariamo fez 10 anos em Setembro de 2009. Como pai procurei encontrar uma forma de falar com ela sobre o que é a adolescência. Através do cinema iniciámos um diálogo.

Mariamo turned ten in September 2009. As a father, I wanted to speak to her about adolescence, about what it means in a person’s life. Through cinema, we were able to start a dialogue.

Olhem

Eliane Beenson, Moçambique, 2009, 15’

Lucas e Isaura são cegos. Eles trabalham e vivem em Maputo, e têm as mesmas aspirações do resto da população. Ambos exercem cargos de responsabilidade e desempenham actividades desportivas e de lazer. Embora estejam perfeitamente integrados na sociedade, Isaura e Lucas enfrentam diariamente barreiras e atitudes negativas.

Lucas and Isaura are blind. They live and work in Maputo, and they share the same aspirations as the rest of the population. Despite being fully integrated into society, every day Isaura and Lucas face physical barriers and negative attitudes.

Khanimambo Moçambique

Constance Latourte, Moçambique/Chile/França, 2010, 54’

Khanimambo Moçambique mostra a rota de exilados chilenos durante a ditadura de Pinochet, a partir de 1973. Centenas deles foram chamados pelo governo moçambicano para trabalhar ao serviço da revolução  que se iniciava no país. Seguindo os passos de Patrícia, uma das primeiras chilenas a chegar a Moçambique, falecida em 2008, este documentário reconstrói um comovente episódio da Guerra-fria e questiona a noção de identidade por meio da experiência do exílio e do compromisso político.

Khanimambo Moçambique (Thank you Mozambique) traces the journey of Chileans who were exiled during the dictatorship of Pinochet after 1973. Hundreds of them were called on by the Mozambican government to work in the service of the communist revolution that was about to launch in the country. This documentary follows the trajectory of Patrícia, one of the first Chileans to arrive in the country and who died in 2008, in a moving reconstruction of a Cold War episode. It questions the idea of identity through the experience of exile and political commitment.

CINEMA SCALA, 18h

Reconquistando a camisinha

Bert Sonnenschein, Moçambique, 2009, 24’

Sheila é a activista de HIV/SIDA no Canto de Aconselhamento na Escola Secundária Nordeste em Maputo. No meio de um universo de 8 mil adolescentes, os levantamentos de camisinhas somam apenas 100 por mês. Frustrada, ela inicia um viagem de mudança da imagem da camisinha de um medicamento para infiéis em uma ferramenta de fazer amor.

Sheila is running a counseling corner at the Nordeste Secundary School in Maputo. In a universe of 8 thousand adolescents, the condom pick-ups do not exceed the 100 per month. Frustrated, she goes on a journey to change the image of the condom, from a medicine for the unfaithful into a tool for lovers.

A ponte – história do ferryboat Bagamoyo

Diana Manhiça, Moçambique, 2010, 38’

Bagamoyo é um ferryboat que nos últimos 37 anos, faz a ligação diária entre a Cidade de Maputo e a Catembe – um distrito municipal de características rurais – transportando várias centenas de pessoas, veículos e carga, entre as 05.00 e as 23.30, sete dias por semana. A história do barco conta-se através do movimento e dos testemunhos daqueles que conhecem e dependem do Bagamoyo no dia-a-dia. Será, mesmo depois de desmantelado, um ícone da Baía de Maputo, memória e identidade dos “catembeiros”.

The Bagamoyo is a ferryboat that for the last 37 years has provided a daily connection between the city of Maputo and Catembe – a largely rural district of the Mozambican capital – carrying several hundred passengers and vehicles as well as goods, from five in the morning until half past eleven at night, seven days a week. The history of the ferry is told through the journeys and the stories of people who know the Bagamoyo and depend on it in their day-to-day lives. Even after it is decommissioned, it will be an icon in Maputo Bay and in the memory and identity of the “catembeiros”.

UEM, 14h

Lobolo – o preço da noiva

Irene Norgaard, Moçambique, 2010, 35’

A cerimonia de lobolo é uma das tradições mais fortes encontradas no sul de Moçambique, na qual o noivo deve pagar uma quantia de dinheiro para poder levar a noiva para sua casa. Hoje em dia a tradição possui muitas facetas. Este filme apresenta o desenvolvimento do lobolo e a sua influência na vida das mulheres, no seu casamento, nas suas famílias e nas sociedades em geral.

The lobolo ceremony is one of the strongest traditions found in the south of Mozambique, in which the prospective groom must pay a sum of money in order to be able to take the bride home.These days, the tradition has many facets. This film presents the development of lobolo and its influence on the lives of women, on their marriage and family and on society in general.

As Damas de Ferro da Libéria (filme cancelado)

UEM, 16h

A Bola

Orlando Mesquita, Moçambique, 2001, 6’

Um filme, singelo e divertido, inserido no quadro da necessária reflexão sobre o espectro da SIDA em Moçambique. Por ano, são distribuídos 20 milhões de preservativos em Moçambique. Dizem as estatísticas que, no país, existem quatro milhões de homens sexualmente activos, ou seja, isso significa que cada um usa menos de 5 preservativos por ano. Entretanto muitas crianças compram-nos para fazerem bolas de futebol. Sem preconceitos…

A short and simple, though entertaining film, within the framework of the necessary reflection on the spectre of AIDS in Mozambique. Some 20 million condoms are distributed every year in Mozambique. The statistics say that there are four million sexually active men in the country, which means that each of them uses fewer than five condoms a year. Meanwhile, many children buy them to make footballs. Completely unbiased.

Mundialito

Sebastián Bednarik, Uruguai, 1975, 90’

Mundialito é um campeonato de futebol jogado pelos campeões do mundo, numa sociedade de terceiro mundo que vive sob uma ditadura; narrada por quem viveu nela. Este filme traz à tona questões inadiáveis sobre a nossa idiossincrasia, a nossa moral, os nossos valores e as nossas esperanças. Qual foi a atitude da comunidade internacional? Como é que a sociedade do Uruguai reagiu? Qual foi a experiência dos actores sociais, políticos e desportivos? Para as forças armadas: o que é que significou? O que aconteceu um dia após o Uruguai vencer a Copa? Este é apenas o começo…

Mundialito is a football championship played by the world champions in a third world society living under a dictatorship; narrated by those who lived it. This film brings up undelayable questions about our idiossincrasy, our moral, our values, and our hopes. Which was the international community attitude? How did the Uruguayan society react? What was the experience of the social, political and sport actors? For the military forces: what did it mean? What happened the day after Uruguay won the cup? This is just the beginning…

UEM, 18h

A Batalha de Argel

Gillo Pontecorvo, Argélia/Itália, 1965, 123’

A Batalha de Argel reconstrói os acontecimentos que tiveram lugar na capital da Argélia francesa entre 1954 e 1960, durante a guerra da Argélia. Durante esse tempo, a violência aumenta, levando à chegada dos pára-quedistas franceses, cuja missão é perseguir e eliminar a FLN (Frente de Libertação Nacional) a qualquer custo, incluindo a tortura. O filme foi censurado na França até 1970.      

The Battle of Algiers reconstructs the events that took place in the capital of French Algeria between  1954 and  1960, During this period, both sides grow increasingly violent leading to the arrival of french paratroopers, whose mission it is to hunt down and eliminate the FLN (National Liberation Front) by any means, including torture. The film was banned in France until 1970.     

XENON, 18 h

Maradona by Kusturica

Emir Kusturica, Espanha/França, 2008, 90’

Este filme celebra a incrível história de Diego Maradona. De Buenos Aires a Nápoles – passando por Cuba – Emir Kusturica traça a vida de um homem fora do comum, das suas origens humildes à fama mundial, da sua ascensão fulgurante ao mais profundo declínio: dependência de drogas, álcool, etc. Um documentário único sobre o “jogador do século” filmado pelo seu maior fã.

This film celebrates the incredible story of Diego Maradona. From Buenos Aires to Naples – as well as Cuba – Emir Kusturica traces the life of this extraordinary man, from his humble beginnings to his worldwide fame, from the most spectacular rise to the tragic fall: drugs dependence, alcohol, and so on. A unique documentary about “the player of the century”, filmed by his greatest fan.

%d blogueiros gostam disto: