Janela Aberta

Enquanto festival moçambicano, o Dockanema privilegia a língua portuguesa nas escolhas que compõem a sua programação de filmes. Por esta razão, e atendendo ao facto de Moçambique ter assumido recentemente a Presidência da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), nesta 7.ª edição foram escolhidas cerca de 20 produções provenientes de países desta comunidade, disponíveis na secção Janela Aberta (filmes falados ou com legendas em Português).

Sugestões Dockanema

Mulheres Africanas – A Rede InvisívelEstreia Mundial

 

Filma que trata da questão da mulher africana a partir do depoimento de cinco ícones do continente: Nadine Gordimer, escritora sul-africana e Nobel (1991) de Literatura; Graça Machel, moçambicana, activista de direitos humanos e de educação, ex-esposa de Samora Machel e atual esposa de Nelson Mandela; Sara Masasi, líder empresarial da Tanzânia; Luísa Diogo, ex-primeira-ministra de Moçambique; Leymah Gbowee, activista política da Libéria, Nobel da Paz (2011). Dirigido por Carlos Nascimbeni e produzido por Mónica Monteiro, da Cinevideo – produtora que se vem especializando em produções africanas.

Carlos Nascimbeni é formado em cinema pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Dirigiu e roteirizou as curtas “Esquesitamente Familiar”, “Um Musical” e “7 Lições para se aprender com as crianças, os loucos e os ladrões”, as média-metragens “Negritude” e “O Povo Deserto, e a longa ‘Made In Brazil”, pela qual recebeu o prémio Governador do Estado de melhor roteiro, em 1984. Foi produtor executivo delegado do longa “O Martelo de Vulcano”, uma realização Warner Bros, Moonshot Pictures e TV Cultura, em 2003.