Nesta 7.ª edição, O Dockanema orgulha-se de apresentar como filme de abertura a ante-estreia mundial da longa-metragem Guerrilla Grannies – How to live in this world (Vovós da Guerrilha – Como viver neste mundo), da realizadora holandesa Ike Bertels. Ao longo das últimas quatro décadas, Bertels dirigiu em Moçambique quatro documentários, sendo esta a sua mais recente produção realizada no país. Como que numa espécie de “máquina do tempo” – as protagonistas do filme já participaram em dois outros documentários da realizadora (1984 e 1994) – em Vovós da Guerrilha, Bertels tece um retrato da vida diária de três mulheres muito especiais (Mónica, Amélia e Maria) e os seus descendentes. Esta é sobretudo uma história sobre a emancipação da mulher na sociedade moçambicana. Pelo seu carácter contemporâneo, mas também histórico, e pelo importante contributo da autora no retrato da sociedade moçambicana desde os primórdios da sua independência, o Dockanema presta a devida homenagem a Ike Bertels e a este filme, destacando-o, entre cerca de oito dezenas de títulos, como filme de abertura nesta sua 7.ª edição ininterrupta.
Paralelamente, o Dockanema apresenta ainda um ciclo de cinema dedicado a Ike Bertels, no qual será apresentada a trilogia que compõe a história de vida das três antigas gerrilheiras da FRELIMO.  (ver Ciclo Ike Bertels)
Durante 10 anos, três meninas de guerrilha arriscaram as suas vidas pela liberdade e autodeterminação, depois de 500 anos de colonialismo português. Sensibilizada pelas imagens de Mónica, Amélia e Maria – que anteriormente já tinham sido protagonistas em dois outros filme da realizadora sobre a luta de libertação de Moçambique – Ike Bertels foi procurá-las para filmá-las novamente, e mais uma vez as questionou sobre como os seus ideais de revolução moldaram a nova sociedade moçambicana. Hoje, as três vovós lutam com as novas gerações, descobrindo como é viver num mundo globalizado.

 

Ike Bertels
É uma realizadora e produtora de cinema formada na Brussels Filmschool (RITCS), em 1971. Desde então, tem vindo a produzir documentários no seu país natal e no estrangeiro. Fundou a IKE Bertels FILMPRODUCTIES / IBF, em 1985, uma produtora de cinema independente sedeada em Amesterdão, na Holanda.