CCBM, 16 h

Videoarte – Rafael França: obra como testamento

Alex Gabassi e Marco del Fiol, Brasil, 2001, 25’

 O gaúcho Rafael França foi precursor no Brasil das experiências que aproximam arte e tecnologia a partir da metade do século 20. Inquieto, já nos anos 1970 fazia uso inovador de meios como a fotocópia. Nos anos 80, depois de passar pela instalação, pela performance e pela intervenção urbana, torna-se um pioneiro da videoarte, com uma obra em que subverte as formas regulares de ficção ao fazer de si mesmo e de seus amigos personagens desafiadores e ao manipular elementos como a sincronia da fala para alterar a noção de tempo e espaço.

CCBM, 18 h

Um lugar ao sol

Gabriel Mascaro, Brasil, 2009, 72’

 A partir de um livro sobre a elite brasileira, em que estão catalogados 125 proprietários de penthouses, dos quais o realizador teve acesso a apenas oito que aceitaram ser entrevistados, pretende-se promover um debate sobre visibilidade, insegurança, estatuto e poder. São aqui abordadas questões ligadas à paisagem urbana, ao modelo das cidades verticais e à forma como estes fenómenos arquitectónicos se relacionam com o comportamento das pessoas – o isolamento social.

The film is based on a book about the Brazilian elite that catalogues 125 penthouse owners, although the director had access to just eight of them who agreed to be interviewed. It is intended to promote a debate on visibility, insecurity, status and power. The film deals with issues relating to the urban landscape, models of vertical cities and the ways in which such architectural features relate to human behaviour – social isolation.

 CCBM, 20 h

Videoarte  – 25 Frames por Segundo: 2ª edição

TEATRO  AVENIDA, 16 h

Os 5 elementos

Madjer Rachid, Moçambique, 2009, 20’

 O filme procura absorver o pensamento social de 5 elementos (mc, dj, b. boy, graffity, consciencialização) e contribuir para a compreensão social e política do sujeito periférico.

The film seeks to soak up the social thinking of the “Five Elements”(mc, dj, b. boy, grafitty, conciencialiação) and help others to understand the outskirts both socially and politically.

 Grandma’s not home

Tiny Mungwe, Africa do Sul, 2008, 48’

Para maioria da juventude de Durban, a oferta nocturna é simplesmente a única forma de escape; é uma cultura cada vez mais infecciosa, a vida nocturna tornou-se quase uma religião. Locais onde as pessoas podem articular a sua individualidade. A juventude negra quer ser vista nos sítios certos, com as pessoas certas, brincando com os brinquedos certos. Fora desse cenário, emergiu um subgénero de música chamado Durban Kwaito Music. Preenchido por letras controversas, esta musica esta a espalhar-se em todo o país criando uma proeminente indústria em Durban.

 For many upwardly mobile young people in Durban, clubbing offers the only and simplest form of escapism; it’s a culture so infectious, clubbing almost becomes a religion, a place where people can articule their individuality. Black youth want to be seen in the right places, with the right people, and playing with the best toys. Out of this scene has emerged a music subgenre called Durban Kwaito Music. Filled with controversial lyrics, this music is taking over the country and creating a prominent entertainment industry in Durban.

TEATRO AVENIDA, 18 h

Ciclo Joris Ivens

Terra > Economia Política

Earth > Political Economy

1. Komsomol, Joris Ivens, Rússia, 1932, 50’

2. Nieuwe Gronden, Joris Ivens, Holanda, 1933, 29’ 

3. Misère au Borinage, Joris Ivens & Henri Storck, Bélgica, 1934, 34’

TEATRO AVENIDA, 20 h

 O salão azul

Luciana Hees, Moçambique, 2009, 19′ 

A rotina de um salão e sua cabeleireira deslizam ao som do rádio na periferia de Maputo. Aos poucos surgem outros personagens cujas vidas se interceptam. As imagens conduzem a narrativa, levando o olhar a tudo aquilo que dispensa palavras.

On the outskirts of Maputo, the life of a hair cut salon and its hairdresser follows the rhythm of the radio. Other characters walk in, their lives cross. The images sweep by naturally, rendering a special place to the witnesses of each scene.

De corpo e alma

Matthieu Bron, Moçambique, 2010, 60’

Victoria tem duas famílias, duas mães: a biológica e a adoptiva (Ângela). Ângela, encontrou Victoria no hospital pouco antes da amputação do seu braço. Transmitiu-lhe até a sua morte valores e forças para vencer na vida. Ao longo da narrativa, os retratos de Victoria, Vasco e Mariana, portadores de deficiências físicas tornam perceptíveis os desafios físicos e psicológicos quotidianos, tratando a questão da diferença e do consequente engajamento social.

 (De corpo e alma – Body and soul) Victoria has two families, two mothers: her birth mother and her adoptive mother (Ângela). Ângela met Victoria at the hospital a little before her arm was amputated. Until her death, she passed on the values and strength to triumph in life. Throughout the narrative that paints portraits of Victoria, Vasco and Mariana, three people with a disability, the physical and psychological challenges of daily life become perceptible. It is a question of difference and social commitment.

 CINE-TEATRO GILBERTO MENDES, 16 h

 A Bola

Orlando Mesquita, Moçambique, 2001, 6’

 Um filme, singelo e divertido, inserido no quadro da necessária reflexão sobre o espectro da SIDA em Moçambique. Por ano, são distribuídos 20 milhões de preservativos em Moçambique. Dizem as estatísticas que, no país, existem quatro milhões de homens sexualmente activos, ou seja, isso significa que cada um usa menos de 5 preservativos por ano. Entretanto muitas crianças compram-nos para fazerem bolas de futebol. Sem preconceitos…

 A short and simple, though entertaining film, within the framework of the necessary reflection on the spectre of AIDS in Mozambique. Some 20 million condoms are distributed every year in Mozambique. The statistics say that there are four million sexually active men in the country, which means that each of them uses fewer than five condoms a year. Meanwhile, many children buy them to make footballs. Completely unbiased.

 João

Andre Iki Siqueria e Beto Macedo, Brasil, 2007/2008, 80’

 Jogador, técnico, jornalista e polemista, João Saldanha (1917-1990) sempre foi bom de briga. A valentia que exibiu dentro de campo, no curto período em que foi jogador, levou-o a aceitar o posto de técnico da mesma equipa do Botafogo. Apesar de não ter nenhuma experiência, conquistou um campeonato estadual, em 1957. Com a mesma coragem para distribuir críticas, foi um dos comentaristas desportivos mais temidos e polémicos do seu tempo. Chegou ao comando da selecção brasileira, classificando-a nas eliminatórias de 1970, em que o Brasil conquistaria o tricampeonato, já sem a sua presença. Militante do Partido Comunista Brasileiro desde os anos 40, tornara-se um estranho no ninho da CBF em plena ditadura Médici. 

João Saldanha (1917-1990), former Brazilian soccer player, coach, journalist and polemist, was always a tough guy. The same prowess he showed in the field in his brief tenure as a player led him to take up position as coach for Rio’s Botafogo Football Club. Though he had no previous experience, his team won a state championship in 1957. Also known for his harsh criticisms, Saldanha was one of the most feared and controversial soccer broadcasters of his time. Head of the Brazilian soccer team during the 60’s, he led the country to win the 1970 World Cup in México when Brazil became three times champion. Na activist of the Brazilian Communist Party since the 40’s, he was the odd man out of the Conderation of Brazilian Football (CBF) during the military dictatorship in Brazil.

CINE-TEATRO GILBERTO MENDES, 18 h

 Mundialito

Sebastián Bednarik, Uruguai, 1975, 90’

 Mundialito é um campeonato de futebol jogado pelos campeões do mundo, numa sociedade de terceiro mundo que vive sob uma ditadura; narrada por quem viveu nela. Este filme traz à tona questões inadiáveis sobre a nossa idiossincrasia, a nossa moral, os nossos valores e as nossas esperanças. Qual foi a atitude da comunidade internacional? Como é que a sociedade do Uruguai reagiu? Qual foi a experiência dos actores sociais, políticos e desportivos? Para as forças armadas: o que é que significou? O que aconteceu um dia após o Uruguai vencer a Copa? Este é apenas o começo…

Mundialito is a football championship played by the world champions in a third world society living under a dictatorship; narrated by those who lived it. This film brings up undelayable questions about our idiossincrasy, our moral, our values, and our hopes. Which was the international community attitude? How did the Uruguayan society react? What was the experience of the social, political and sport actors? For the military forces: what did it mean? What happened the day after Uruguay won the cup? This is just the beginning…

 CINE -TEATRO GILBERTO MENDES, 20 h

 Fahrenheit 2010

Craig Tanner, Austrália / África do Sul, 2009, 90’

A Copa do Mundo 2010 é certamente a maior ocasião que marca a Africa do Sul desde o fim do Apartheid e as primeiras eleições democraticas. Fahrenheit 2010 examina sistematicamente as expectativas criadas pela Copa do Mundo. O ponto central são as disparidades socio-economicas e o debate de saber se as obras grandiosas irão deixar o país com elefantes brancos. Os entrevistados incluem Danny Jordaan, Desmond Tutu, Michael Sutcliffe, Jomo Sono, Dennis Brutus e também entre outros, trabalhadores da construção civil, vendedores de rua, o jogador de futebol e o sangoma com as respostas aos problemas dos Bafana Bafana. Fahrenheit 2010 é um contributo equilibrado e oportuno para o debate sobre a organisação da Copa do Mundo e sua relevância para o Sul-africano comum.

The 2010 Soccer World Cup is arguably the most momentous occasion in South Africa since the end of Apartheid and the first democratic elections. Fahrenheit 2010 systematically examines the expectations of the 2010 FIFA World Cup.  Focal points are South Africa’s socio-economic disparities, and debate as to whether the erection of state of the art sports areas will leave the country with white elephants it can ill afford. Those interviewed include Danny Jordaan, Desmond Tutu, Michael Sutcliffe, Jomo Sono, Dennis Brutus and also, amongst others, construction workers, street traders, soccer player and the sangoma with the answer to Bafana Bafana’s woes. Fahrenheit 2010 is a measured and timely addition to the debate on the organising of the World Cup and its relevance to ordinary South Africans.

 CINEMA SCALA, 16 h

Memória cubana

Alice de Andrade e Iván Nápoles, França/Brasil/Cuba, 2010, 71’

Através dos tesouros dos cine jornais cubanos – os Noticieros ICAIC Latinoamericanos – o filme mostra os acontecimentos mais marcantes do século XX visto pelas lentes dos documentaristas da ilha.  Sob a direção geral do genial documentarista Santiago Álvarez, os talentosos cineastas do ICAIC testemunharam quase tudo, durante 30 anos.

Based on the treasure represented by Cuban newsreels – the ICAIC Latin American Newsreels – this film shows the most striking events of the twentieth century as seen through the lenses of the island’s documentary filmmakers. Under the general guidance of the brilliant documentary filmmaker Santiago Álvarez, the talented cameramen of the ICAIC witnessed it all over a period of 30 years.

 CINEMA SCALA, 18 h

48

Susana de Sousa Dias, Portugal, 2009, 93’

Vasculhando os arquivos da PIDE, a temida polícia secreta da ditadura salazarista, a realizadora recolhe 16 fotografias de presos políticos, cuja história tenta decifrar. Correndo contra o relógio para encontrar sobreviventes, ela descobre nos relatos as explicações de parte do mistério que quer decifrar. Daí emergem as memórias das emoções conflituantes que dominavam os prisioneiros no momento da fotografia – não raro, uma das raras ocasiões em que alguns procuravam enfrentar, ainda que fosse com um olhar, os seus captores e algozes. Uma mulher lembra a sua reacção inexplicável de sorrir perante a câmara – um comportamento que a perseguiu pelo resto da vida. Por este ângulo inusitado, o filme levanta pistas para um retrato dos 48 anos da ditadura em Portugal.

 Digging through the archives of PIDE, the secret police of the Salazar dictatorship in Portugal, the director collects 16 pictures of political prisoners and tries to decipher their story. Working against time in order to find survivors, she starts to find explanations in reports. Memories then emerge of conflicting emotions that dominated the prisoners at the moment of pictures – which is not rare, but one of the rare occasions in which a few tried to confront (even if it was just with a look) their captors and executioners. A woman recalls her unexplainable reaction of smiling in front of the camera – behavior that has haunted her for her whole life. Through this unusual angle, the film encounters traces for a portrait of 48 years of dictatorship in Portugal.  

UEM, 14h

 Intervalo

Nelson Mabuie, Moçambique, 2009, 15’

 Mariamo fez 10 anos em Setembro de 2009. Como pai procurei encontrar uma forma de falar com ela sobre o que é a adolescência. Através do cinema iniciámos um diálogo.

Mariamo turned ten in September 2009. As a father, I wanted to speak to her about adolescence, about what it means in a person’s life. Through cinema, we were able to start a dialogue.

 Olhem

Eliane Beenson, Moçambique, 2009, 15’

 Lucas e Isaura são cegos. Eles trabalham e vivem em Maputo, e têm as mesmas aspirações do resto da população. Ambos exercem cargos de responsabilidade e desempenham actividades desportivas e de lazer. Embora estejam perfeitamente integrados na sociedade, Isaura e Lucas enfrentam diariamente barreiras e atitudes negativas.

 Lucas and Isaura are blind. They live and work in Maputo, and they share the same aspirations as the rest of the population. Despite being fully integrated into society, every day Isaura and Lucas face physical barriers and negative attitudes.

 Khanimambo Moçambique

Constance Latourte, Moçambique/Chile/França, 2010, 54’

 Khanimambo Moçambique mostra a rota de exilados chilenos durante a ditadura de Pinochet, a partir de 1973. Centenas deles foram chamados pelo governo moçambicano para trabalhar ao serviço da revolução  que se iniciava no país. Seguindo os passos de Patrícia, uma das primeiras chilenas a chegar a Moçambique, falecida em 2008, este documentário reconstrói um comovente episódio da Guerra-fria e questiona a noção de identidade por meio da experiência do exílio e do compromisso político.

 Khanimambo Moçambique (Thank you Mozambique) traces the journey of Chileans who were exiled during the dictatorship of Pinochet after 1973. Hundreds of them were called on by the Mozambican government to work in the service of the communist revolution that was about to launch in the country. This documentary follows the trajectory of Patrícia, one of the first Chileans to arrive in the country and who died in 2008, in a moving reconstruction of a Cold War episode. It questions the idea of identity through the experience of exile and political commitment.

 UEM, 16h

 Lumumba, la mort du prophète

Raoul Peck, Alemanha/Suíça/França, 1990, 69’

 Um documentário criativo onde a biografia e a história, os testemunhos e as imagens de arquivo constituem a trama de uma reflexão sobre a figura de Patrice Lumumba, sobre o assassinato político, os media e a memória. Uma ocasião única para recordar, 50 anos depois, a vida e lenda de Lumumba, líder independentista e Primeiro-ministro da República Democrática do Congo em 1960.

A Creative documentary in which biography and history, testimonies and stock footage constitute the plot of this reflection on the figure of Patrice Lumumba, political assassination, the media and the memory. A unique opportunity to recover, 50 years later, the life and legend of Lumumba, independentist leader and Prime Minister of the Democratic Republic of the Congo in 1960.

 UEM, 18h

 Slam Video Maputo

Ella Raidel, Áustria/Moçambique, 2010, 28’

 Artista e realizadora Ella Raidel participou do programa “Forget Africa”, uma série de filmes financiado pelo Festival de Roterdão IFFR 2010 e filmado por realizadores asiáticos e ocidentais, e foi enviada para Moçambique. Ella investigou o auto-retrato de Moçambique nos media onde a sua cultura popular reflecte a intersecção das culturas globais e locais. Conheceu poetas de rua, músicos hip-hop e visitou programas de televisão e rádio. Slam Vídeo Maputo é o making-off destas produções de vídeo. O filme presta tributo à alegre e contagiante cultura popular de Maputo.

Artist and video maker Ella Raidel was participating the ‘Forget Africa’ program, a series of films commissioned by the Rotterdam Festival IFFR 2010 and shot by Asian and Western filmmakers, and was sent to Mozambique. She investigated the self-image in media of Mozambique where its popular culture mirrors the intersection of global and local cultures. She met slam poets, hip-hop musicians and visited TV and radio shows. Slam Vídeo Maputo is the making-of these video productions. The film pays tribute to the cheerful and infectious popular culture of Maputo.

 O gigante de papelão

Bárbara Tavares, Brasil, 2010, 11’

 O Gigante de Papelão é um documentário que conta a história da arte do artista plástico Sergio Cezar e seu poder de transformação. Sergio, também conhecido como o “Arquitecto do Papelão”, usa materiais descartados para retratar casas, favelas, e cidades inteiras. Seu trabalho propõe uma verdadeira reciclagem no olhar.

 Think BIG THINK small-scale is a short documentary about Sergio Cezar’s art and its power of transformation. Sergio is also known as “Cardboard Architect”. He uses micro-trash to recreate facades, slums and whole cities. His work is an invitation for recycling the way we look at things.

 Maciene

Isabel Noronha, Moçambique, 2009, 61’

 Uma lenda antiga conta que numa pequena aldeia na província de Gaza,  habita um Povo com o especial talento de entrelaçar a beleza do mundo dos antepassados com a riqueza do mundo moderno. Por isso, em Maciene,  estes dois mundos habitam hoje ainda em amplo respeito e a Vida é tecida a cada dia em gestos que a projectam para Além do Sonho. Este Povo zela para que Maciene nunca deixe de ser, tal como reza a lenda, “o lugar onde Deus encontrou a Serenidade”.

An ancient legend tells that, in a small village in the Mozambican province of Gaza, lives a people with the special talent of interweaving the beauty of the world of the ancestors with the richness of the modern world. Thus in Maciene, these two worlds live together today still in mutual respect, and Life is woven every day in gestures that project it beyond the Dream. This people is striving so that Maciene will never cease to be, as the legend says, “the place where God found Serenity”.

 XENON, 18 h

 Maradona by Kusturica

Emir Kusturica, Espanha/França, 2008, 90’

 Este filme celebra a incrível história de Diego Maradona. De Buenos Aires a Nápoles – passando por Cuba – Emir Kusturica traça a vida de um homem fora do comum, das suas origens humildes à fama mundial, da sua ascensão fulgurante ao mais profundo declínio: dependência de drogas, álcool, etc. Um documentário único sobre o “jogador do século” filmado pelo seu maior fã.

This film celebrates the incredible story of Diego Maradona. From Buenos Aires to Naples – as well as Cuba – Emir Kusturica traces the life of this extraordinary man, from his humble beginnings to his worldwide fame, from the most spectacular rise to the tragic fall: drugs dependence, alcohol, and so on. A unique documentary about “the player of the century”, filmed by his greatest fan.