CCBM, 18h

 Mama África

Alê Braga, Brasil, 2010, 70’

Se o Brasil é futebol, samba, Amazónia e mulheres bonitas, a África é conflito, fome e animais. Será? A imagem da África para os estrangeiros é absolutamente estereotipada, equivocada ou simplesmente desconhecida. Mama África é um documentário que abriu  o espaço para falar dos temas quotidianos, de religião, cultura, desenvolvimento, alimentação. Filmado em dez países, Mama África mostra um pouco das muitas Áfricas que desconhecemos.

If Brazil is football, samba, Amazon and beautiful women, Africa is conflict, hunger and animals. But is that really the way things are over there? The image foreigners have about Africa is completely stereotyped, wrong or simply unknown. Mama Africa is a documentary that give the opportunity to  talk  about daily issues such as religion, culture, development. Filmed in ten countries, Mama Africa shows a little more of all the Africas that we don’t get to hear about or see very often.

CCBM, 20h

À Espera no Quintal

Emídio Josine, Moçambique/Brasil, 2010, 15’

O documentário retrata as tristes e alegres recordações de 3 idosos que esperam ainda que alguma coisa aconteça nas suas vidas apesar de o tempo já não lhes permitir. Alguns esperam a morte, outros serem felizes e outros nada esperam. Inspirado do conto “Inimigos no Quintal” do escritor  Luis Ruffato.

 This documentary portrays the sad and the happy memories of old people who are still waiting for something to happen in their lives, even though time is against them. Some are waiting for death, some for happiness and others are waiting for nothing in particular. Inspired by the story “Enemies in the Garden” by the writer Luis Ruffato.

 Acácio

Marília Rocha, Brasil, 2009, 88’

Entre 1918 e 2008, Acácio Videira e Maria da Conceição dividiram a vida entre Portugal, Angola e Brasil. O filme combina imagens do presente com o acervo produzido por Videira no passado, interligando os três países e refletindo sobre as relações coloniais, a guerra, a memória.

 Between 1918 and 2008, Acácio Videira and Maria da Conceição shared their lives between Portugal, Angola and Brazil. The film combines images from the present with Videira’s films and photographs of the past, creating a space between what is seen and what was lived, remembered and forgotten. The couple’s personal history becomes a reflection on colonial relations, war, and memory.

 TEATRO AVENIDA, 16h

 Maputo Dancing Dump

Marco Pasquini, Itália/Portugal, 2010, 52’

 Na periferia de Maputo, o Bairro do Hulene é a maior lixeira da cidade. Setecentas famílias vasculham no meio do lixo todos os dias. Mas a lixeira, um mundo de degradação e luta contínua pela sobrevivência, é o mesmo espaço no qual grupos de dança hip-hop foram criados. Música e ritmos das comunidades Afro-Americanas, juntamente com agilidade e auto-ironia espontânea, tornam qualquer ocasião num verdadeiro espectáculo. Suares é um bailarino experiente: é ele que ensaia as crianças e que nos apresenta aos restantes rapazes da Lixeira, enquanto treina um sem número de expressões faciais e passos de dança. Um microcosmos feito de relações sociais e económicas, paixões e pequenas guerras, amizades intensas e arrufos repentinos. Histórias e esperanças diárias que nos fazem descobrir a verdadeira força vital deste lugar.

 On the outskirts of Maputo, the Hulene district is the city’s largest garbage dump, “lixeira”. 700 families dig and collect in the trash every day. But the dumping ground, a world of degradation and continuous struggle for survival, is the space where groups of hip-hop dance were created. Music and rhythms taken from African-American communities, together with agility and spontaneous self-irony, turn any occasion into a show. Suares is an experienced dancer, he acts as a puppet, a robot or a proud warrior, while he pulls a neverending series of faces. A microcosm made of relationships, passions and small grudges, intense friendships and sudden brawls. Through the daily life of Suares, his stories, his hopes and his dancing steps, we uncover the deep vital strength of this place.

 TEATRO AVENIDA, 18h

 Ciclo Joris Ivens,

Água > Movimento

Water > Mouvement

 1. Études des mouvements, Joris Ivens, Holanda, 1927, 4’

 2. De brug, Joris Ivens, Holanda, 1928, 11’

 3. Regen, Joris Ivens & M.H.K. Franken, Holanda, 1929, 15’

 4. La Seine a rencontré Paris, Joris Ivens, França, 1957, 32’

 5. Rotterdam Europoort, Joris Ivens, Holanda e França, 1966, 20 ‘

 6. Cinemafia, Jean Rouch, Holanda, 1980, 33’

TEATRO AVENIDA, 20h

 Memória cubana, Alice de Andrade e Iván Nápoles, França/Brasil/Cuba, 2010, 71’

 Através dos tesouros dos cine jornais cubanos – os Noticieros ICAIC Latinoamericanos – o filme mostra os acontecimentos mais marcantes do século XX visto pelas lentes dos documentaristas da ilha.  Sob a direção geral do genial documentarista Santiago Álvarez, os talentosos cineastas do ICAIC testemunharam quase tudo, durante 30 anos.

 Based on the treasure represented by Cuban newsreels – the ICAIC Latin American Newsreels – this film shows the most striking events of the twentieth century as seen through the lenses of the island’s documentary filmmakers. Under the general guidance of the brilliant documentary filmmaker Santiago Álvarez, the talented cameramen of the ICAIC witnessed it all over a period of 30 years.

CINEMA SCALA, 16h

Lobolo – o preço da noiva

Irene Norgaard, Moçambique, 2010, 35’

A cerimonia de lobolo é uma das tradições mais fortes encontradas no sul de Moçambique, na qual o noivo deve pagar uma quantia de dinheiro para poder levar a noiva para sua casa. Hoje em dia a tradição possui muitas facetas. Este filme apresenta o desenvolvimento do lobolo e a sua influência na vida das mulheres, no seu casamento, nas suas famílias e nas sociedades em geral.

The lobolo ceremony is one of the strongest traditions found in the south of Mozambique, in which the prospective groom must pay a sum of money in order to be able to take the bride home.These days, the tradition has many facets. This film presents the development of lobolo and its influence on the lives of women, on their marriage and family and on society in general.

Ecos do Silêncio

Lionel Moulinho, Moçambique, 2010, 52’

 “Ecos do Silêncio” é uma visão, sobre o músico moçambicano João Paulo nas suas variadas nuances como intérprete de Soul & Blues de referencia nacional nos anos 60/70. O documentário acompanha um período da vida de João Paulo, partindo de entrevistas com o próprio, nas quais ficou registada a sua visão da vida .Tendo optado por ser um “intelectual à deriva” ele não tinha espaço para colocar o seu saber. João Paulo é tido como o maior interprete soul em Moçambique de todas gerações.

 “Echoes of Silence” is an examination of Mozambican musician João Paulo, with his varied nuances as Mozambique’s interpreter of Soul and Blues in the 60s and 70s. The documentary follows one period in the life of João Paulo, based on interviews with the musician that record his views on life.As he had chosen to be an “intellectual adrift on the tide” – he had no forum in which to express his knowledge. João Paulo is regarded as the greatest interpreter of soul of all generations in Mozambique. 

CINEMA SCALA, 18h 

A Batalha de Argel

Gillo Pontecorvo, Argélia/Itália, 1965, 123’

A Batalha de Argel reconstrói os acontecimentos que tiveram lugar na capital da Argélia francesa entre 1954 e 1960, durante a guerra da Argélia. Durante esse tempo, a violência aumenta, levando à chegada dos pára-quedistas franceses, cuja missão é perseguir e eliminar a FLN (Frente de Libertação Nacional) a qualquer custo, incluindo a tortura. O filme foi censurado na França até 1970.      

The Battle of Algiers reconstructs the events that took place in the capital of French Algeria between  1954 and  1960, During this period, both sides grow increasingly violent leading to the arrival of french paratroopers, whose mission it is to hunt down and eliminate the FLN (National Liberation Front) by any means, including torture. The film was banned in France until 1970.     

UEM, 14h 

Johana, a terra que roubou os nossos maridos

Natércia Chicane, Moçambique, 2009, 15’

 A vida de Alice é o exemplo da história de muitas mulheres moçambicanas que viram os seus maridos partirem para Joanesburgo em busca de melhores condições. “Johana” é a solução para muitos homens – terra de onde trazem roupas, sapatos, comida, tecidos e muito dinheiro. Contudo os objectivos traçados nem sempre são cumpridos.

 Alice’s life is similar to that of so many women in Mozambique whose husbands leave to work in Johannesburg in search of a better life. Johana is the solution for many men who return with their arms full, although they do not always reach their goal. 

Ceux de la colline

Berni Goldblat, Suiça, 2009, 72’

 Em torno de uma mina de ouro improvisada sobre a colina de Diosso em Burkina Faso reuniram-se milhares de pessoas com um objectivo comum de fazer fortuna. Garimpeiros, dinamiteiros, comerciantes, prostitutas, crianças, curandeiros, cabeleireiros e marabouts compõem essa cidade efémera, construída à pressa, sobre as suas lutas diárias contra si mesmos e contra os outros. Apesar dos perigos e das desilusões, a corrida pelo ouro continua implacável, e parecem incapazes de abandonar este lugar fora do tempo.

A makeshift gold mine on the remote Diosso hillside in Burkina Faso has attracted a swarm of gold-diggers and dynamite blasters, healers and dealers, vendors and prostitutes, children, holy man and barbers. Living in a promiscuous closeness of a crowded and improvised town, these men and women are recklessly determined to find the gold that will change their lives. The film explores their desperate quest for fortune and elusive happiness. The gold rush is relentless.

UEM, 16h

A cidade dos mortos

Sérgio Tréfaut, Portugal/Espanha/Egipto, 2009, 62’

 A Cidade dos Mortos, no Caro, é a maior necrópole do mundo. Vivem nela um milhão de habitantes: nos túmulos ou nos edifícios que cresceram à volta dos túmulos. Podemos encontrar padarias, cafés, mercados, uma escola para as crianças, mecânicos para os automóveis. Tudo dentro do cemitério. A Cidade dos Mortos é gigantesca mas parece uma pequena aldeia. As mães querem casar as filhas, os rapazes continuam a andar atrás das raparigas… Estas coisas nunca mudam. Quer vivamos numa grande cidades, numa aldeia ou num cemitério.

The City of Dead is the biggest necropolis in the world, in Cairo. One million inhabitants live there: in the tomb houses or in the buildings that have grown up around the toms. We can fin bakeries, coffee shops, markets, school for the children, and mechanics for the cars. Everything inside the cemetery. The City of Dead is gigantic but it feels like a small village. Mothers want to marry their daughters; boys keep chasing the girls… These things never change. It doesn’t matter if you live in a big city, in a village or in a cemetery. 

 XENON, 18h

Maradona by Kusturica

Emir Kusturica, Espanha/França, 2008, 90’

 Este filme celebra a incrível história de Diego Maradona. De Buenos Aires a Nápoles – passando por Cuba – Emir Kusturica traça a vida de um homem fora do comum, das suas origens humildes à fama mundial, da sua ascensão fulgurante ao mais profundo declínio: dependência de drogas, álcool, etc. Um documentário único sobre o “jogador do século” filmado pelo seu maior fã.

 This film celebrates the incredible story of Diego Maradona. From Buenos Aires to Naples – as well as Cuba – Emir Kusturica traces the life of this extraordinary man, from his humble beginnings to his worldwide fame, from the most spectacular rise to the tragic fall: drugs dependence, alcohol, and so on. A unique documentary about “the player of the century”, filmed by his greatest fan.

 

 

 

 

 

Anúncios